terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Ecoa no meu íntimo
Nas paredes do meu ser
Tento ignora-lo
Mas ele contaminou meus olhos
No vento lúcido da minha imaginação
Queria ...
Se desse ...
São só desejos carnais.

4 comentários:

  1. gostei muito dos seus textos [ou poemas? ou apenas eescritos?].

    nada mais lúcido que a imaginação, querida.

    beijos.

    ResponderExcluir
  2. Ah! Esses desejos carnais...
    Por vezes nos deixam assim enloquecidamente lúcidos, bom pensar assim, pois dessa forma as palavras fluem, e os versos, tomam forma, como este teu aqui.

    Beijos

    ResponderExcluir